Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

» Para receber os textos do Slow Food Brasil por email, basta você cadastrar seu endereço:


Acompanhe também via: Slow Food Brasil via RSSSlow Food Brasil no TwitterSlow Food Brasil no Facebook

maa-do-amorO termo comida de rua é utilizado para identificar alimentos e bebidas prontos para o consumo, preparados e/ou vendidos nas ruas; em portas de igrejas, escolas, cinemas; em tendas, que se espalham por praias, praças e outros lugares públicos. Sempre muito apreciados por pessoas de todas as classes, esses alimentos são comercializados por vendedores ambulantes, em todas as partes do mundo.

Estudos realizados na América Latina estimam que, em grandes centros urbanos, entre 25 e 30% do orçamento familiar são gastos no consumo de alimentos categorizados como comida de rua.

Os produtos oferecidos variam nos diferentes países/regiões e culturas e, por isso, destacam-se sob o ponto de vista turístico, pois comumente são considerados emblemáticos e apreciados pelos viajantes.

ambulantes-antiga

O aroma chama, as papilas antecipam o sabor... em O cafezinho que fala Ellen Woortmann nos brinda com instigantes dimensões e significados de um ato que, comumente, repetimos várias vezes ao dia, de preferência em boa companhia. Fica o convite: que tal um cafezinho?

cafezinhoO cafezinho faz parte do conjunto constituído pela comida e, como tal, "fala" de práticas, valores e possui dimensões simbólicas interessantes. Ele é parte de uma linguagem.

Tomar cafezinho junto significa compartilhar, tornar um momento ritual, marcá-lo como algo que nos aproxima, reforça laços. Pode ser também uma pausa no cotidiano.

Quando se recebe alguém em casa, principalmente quando não é alguém muito conhecido, e se "passa um café" novo, esse é um claro sinal de boas vindas: a presença da pessoa é desejada. Inversamente, servir um café morno ou requentado é ofensivo, significa que a pessoa deve se retirar logo.

Casa junto ao Engenho dos Andrade. Foto: Marcia RiedererNo dia 10 de novembro de 2007 o Convivium Engenho de Farinha, localizado em Florianópolis/SC, realizará uma Farinhada durante o dia inteiro que terminará num jantar especial elaborado pelo Chef Ofir (Pará). Todos estão convidados para participar.

Os objetivos do Iº Encontro do Convivium Engenho de Farinha são integrar novos membros e propiciar um espaço para que as pessoas se conheçam, criem vínculos, e troquem informações sobre o que cada um faz, onde e com quem atuam. Buscou-se conceber algo que respeite a filosofia do Slow Food. Então, por que não preparar a farinha no Casarão Engenho dos Andrade ao longo do dia e utiliza-la no jantar?

Trata-se do evento mais importante do ano para o Movimento Slow Food, visto que o corpo executivo será eleito e as estratégias futuras serão decididas.O Congresso acontecerá entre os dias 8 e 11 de novembro de 2007 em Puebla, no México, e irá reunir cerca de 600 pessoas de mais de 130 países.

O Brasil tem direito a dois votos e será representado por Margarida Nogueira - Convivium Rio de Janeiro - e Paulo Chanel - convivium de Piracicaba.

Na ocasião também haverão reuniões relacionadas com o desenvolvimento dos projetos da Fundação Slow Food para Biodiversidade , e a Comissão Internacional da Arca do Gosto estará reunida para discutir as estratégias e diretrizes para os próximos anos. Roberta Marins de Sá - coordenadora dos projetos do Slow Food no Brasil - estará presente e vai apresentar os novos produtos brasileiros da Arca do Gosto e falar sobre o Terra Madre Brasil , realizado em Brasília entre os dias 04 e 07 de outubro de 2007.

Para mais informações sobre o Congresso, veja o boletim Convivium Update de outubro.
 

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s