Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

» Para receber os textos do Slow Food Brasil por email, basta você cadastrar seu endereço:


Acompanhe também via: Slow Food Brasil via RSSSlow Food Brasil no TwitterSlow Food Brasil no Facebook

paisagem4.jpgDe minhas recentes viagens ao Pirineu, impressionou-me a ternura que os pagesos (como são chamados os camponeses na Catalunha) ainda hoje conservam pela montanha. Ternura entendida como uma mistura bem feita de amor e respeito.

Até um passado muito próximo, a montanha foi provedora de todos os alimentos, sendo ainda capaz de curar, com as ervas que abundavam por seus campos e bosques, os males de homens e criações. As estações do ano eram como páginas de uma agenda sempre cheia. Tudo tinha que ser feito num tempo preciso e inadiável, sob pena de se perder o compromisso diário com a sobrevivência.

Em alguns momentos mais emocionantes das visitas e entrevistas que tive oportunidade de realizar, acho até que pude compreender - ainda que seja incapaz de transmitir - porque a montanha é, em muitas culturas e em diversos pontos do planeta, um lugar de veneração.

Bagunça na Cozinha "Bagunça na Cozinha" é um quadro de educação do sabor para crianças, que será apresentado no Canal Futura, dentro do programa "Teca na TV". O Canal Futura, o Instituto Maniva e o Convivium Slow Food do Rio de Janeiro, em parceria e usando a filosofia Slow, abordam o tema de alimentação/culinária com as crianças de maneira educativa e lúdica. A chef Teresa Corção, a frente de sua equipe infantil, apresenta produtos e prepara quitutes!

"Bagunça na Cozinha" é apresentado no Canal Futura desde o dia 10/03/08 nos seguintes horários: 

  • 2ª a 6ª feira:às 9:00 / às 14:00 e às 19:00 horas
  • Sábado: às 14:30 horas
  • Domingo: às 10:00 horas

Vale a pena conferir e comentar!!

Saiba mais sobre o quadro e conheça algumas receitas no site do Canal Futura  

Chefs contra a fomeCrie uma receita utilizando Batata e participe de publicação internacional. Inscrições até 11 de abril de 2008. 

Oriunda dos Andes, a batata é hoje cultivada, apreciada e consumida no mundo todo. São mais de 5000 variedades, ricas em carboidratos, potássio e vitamina C. 

Durante o ano de 2008 vão acontecer várias iniciativas da ONU para conscientizar a população mundial sobre a importância da batata como alimento no mundo, principalmente nos países em desenvolvimento, promover pesquisas e o desenvolvimento da produção.

"Chefs contra a Fome" é uma iniciativa da FAO (Food and Agriculture Organization/ONU) e convida a todos os chefs a prepararem uma receita original que tenha a batata como ingrediente principal. Será publicado um livro de receitas e os chefs que participarem receberão os devidos créditos e 05 exemplares do livro. Participe.

biju-mandioca-indigena.jpg Este artigo aborda a contribuição dos grupos indígenas no processo de formação da culinária brasileira a partir das obras de Gilberto Freyre e Luiz da Câmara Cascudo, autores das obras mais significativas sobre a temática e referências obrigatórias para pesquisas na área.

A leitura desses autores passa a impressão de que a contribuição indígena para a cozinha brasileira se resume ao fornecimento de ingredientes, deixando de aportar ao saber-fazer e demais elementos dos sistemas culinários. No entanto, o curioso é que justamente nas obras desses autores encontramos informações que contrariam essa noção.

Assim é que este artigo pretende pensar a contribuição indígena à culinária brasileira a partir das entrelinhas de Gilberto Freyre e Câmara Cascudo.

O ano de 2008 foi eleito como o de início do trabalho de Slow Food para o desenvolvimento dos “Mercatti della Terra” (Mercados da Terra). As primeiras experiências foram realizadas no Líbano e a Itália terá pelo menos 20 mercados dentro de 12 meses.

O projeto começou a partir da análise das experiências dos mercados de agricultores já presentes em vários países ao redor do mundo: os farmer’s market canadenses, americanos, ingleses e pequenos mercados biológicos na Itália. Experiências sempre mais numerosas, graças à crescente atenção à cadeia curta como sistema de distribuição sustentável.

Os Mercados da Terra se colocam neste percurso e se distinguem por alguns aspectos cruciais: hospedam somente pequenos produtores e oferecem somente produtos locais que respondam ao critério de bom, limpo e justo.

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s