Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

Diversidade Cultural e Turismo Sustentável, este é o tema da palestra que será realizada nesta quarta-feira, 7 de maio, no Centro de Excelência em Turismo da Universidade de Brasília ( CET/UnB ) . Os palestrantes debaterão as possibilidades de uso de ingredientes locais para a gastronomia e como contribuem para a preservação, além de estimular o desenvolvimento sustentável de pequenas comunidades.  As inscrições serão feitas no nosso site e os participantes receberão certificado.

Palestrantes:

  •  Iara Brasileiro, pesquisadora do CET/UnB. Coordenadora do Núcleo de Desenvolvimento Sustentável no CET;
  •  Roberta Marins de Sá, Coordenadora dos Projetos do Slow Food no Brasil e consultora do Ministério do Desenvolvimento Agrário;
  •  Luiz Carraza, representante da ISPN – Instituto Sociedade, População e Natureza, onde estimulam uma rede de comercialização solidária conhecida como Central do Cerrado – Produtos Ecossociais.

Local: Centro de Excelência em Turismo da Universidade de Brasília (CET/UnB)

Data: 07/05

Horário: 19h

Inscrições: http://www.cet.unb.br/forms/cadastro_palestras.php

Chefs contra a fomeCrie uma receita utilizando Batata e participe de publicação internacional. Inscrições até 11 de abril de 2008. 

Oriunda dos Andes, a batata é hoje cultivada, apreciada e consumida no mundo todo. São mais de 5000 variedades, ricas em carboidratos, potássio e vitamina C. 

Durante o ano de 2008 vão acontecer várias iniciativas da ONU para conscientizar a população mundial sobre a importância da batata como alimento no mundo, principalmente nos países em desenvolvimento, promover pesquisas e o desenvolvimento da produção.

"Chefs contra a Fome" é uma iniciativa da FAO (Food and Agriculture Organization/ONU) e convida a todos os chefs a prepararem uma receita original que tenha a batata como ingrediente principal. Será publicado um livro de receitas e os chefs que participarem receberão os devidos créditos e 05 exemplares do livro. Participe.

O ano de 2008 foi eleito como o de início do trabalho de Slow Food para o desenvolvimento dos “Mercatti della Terra” (Mercados da Terra). As primeiras experiências foram realizadas no Líbano e a Itália terá pelo menos 20 mercados dentro de 12 meses.

O projeto começou a partir da análise das experiências dos mercados de agricultores já presentes em vários países ao redor do mundo: os farmer’s market canadenses, americanos, ingleses e pequenos mercados biológicos na Itália. Experiências sempre mais numerosas, graças à crescente atenção à cadeia curta como sistema de distribuição sustentável.

Os Mercados da Terra se colocam neste percurso e se distinguem por alguns aspectos cruciais: hospedam somente pequenos produtores e oferecem somente produtos locais que respondam ao critério de bom, limpo e justo.

Está no ar o site do documentário “Seu Bené vai pra Itália”

Benedito Batista da Silva, seu Bené, é um pequeno produtor de farinha d’água em Bragança, Pará.

Foi o protagonista do curta-metragem “O Professor da Farinha” apresentado na 27ª convenção anual da International Association of Culinary Professionals em Dallas, Estados Unidos. Esse curta-metragem emocionou a todos e rodou o mundo!

Convidado pelo movimento internacional Slow Food para participar do Terra Madre 2006 - grande encontro de pequenos produtores do mundo todo, em Turim, Itália - lá se foi seu Bené!

O documentário mostra com muita emoção, graça e delicadeza a viagem, as descobertas, dificuldades e alegrias desse intrépido homem da terra, que personifica todos os pequenos produtores do mundo. E nos passa a certeza que ainda podemos ter um mundo melhor: bom, limpo e justo .

O filme acaba de participar com muito sucesso do Festival Internacional de Cinema de Berlim .

Mais informações: http://www.seubenevaipraitalia.com.br  

Pré-carnaval no Recife bem no sábado que saia o bloco das Virgens de Olinda, onde os homens saem nas ruas numa versão mulher. Animadíssimo. Atravessei Olinda para chegar a Maria Farinha. O nome da praia, localizada ao norte do grande Recife, vem de um caranguejinho branco, que dá nome ao lugar.

Início de tarde, amigos pernambucanos, praia vazia, tudo divinamente slow, graças às Virgens de Olinda. Logo, começou a ser ofertado um desfile de sabores regionais. Primeiro, o amarelo vibrante das sirigüelas ganhou meus olhos. Seu Humberto me fez uma oferta: dois saquinhos com desconto para ajudar a manter o equilíbrio do arranjo feito com uma ripa de madeira que carregava no ombro. Negócio fechado!

Foto: Anna Paula DinizFoto: Anna Paula Diniz 

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s