CAPA-BEA-carnes-baixa.jpg

Baixe o Documento de Posicionamento sobre Bem-Estar Animal e Consumo de Carne do Slow Food Brasil para ler o conteúdo na íntegra.

Este documento se baseia em O bem-estar animal, segundo o Slow Food, de autoria de Anne Marie Matarrese. Foto de capa de Bernardo Simões, retratando a criação de porco moura no Paraná. O Documento de Posicionamento do Slow Food Brasil sobre Bem-Estar Animal e Consumo de Carne foi adaptado para a realidade brasileira e atualizada por Glenn Makuta e revisada por Ligia Meneguello, no âmbito do projeto Tecendo Redes pelo Alimento Bom, Limpo e Justo para Todos, uma iniciativa da Associação Slow Food do Brasil com apoio da Fundação Heinrich Boll 

O panorama global da carne

O consumo de carne é cada vez mais crescente no mundo e essa demanda faz com que países exportadores de carne criem quantidades cada vez maiores de animais. Uma das primeiras coisas que são comprometidas é a sua qualidade de vida que viram mercadoria para suprir a demanda do mercado global.

Em condições muito degradantes (ainda que dentro da legalidade – e eventualmente fora), esses animais são padronizados, mutilados, confinados, amontoados e ultramedicados em suas curtas vidas. Tais condições de vida afetam diretamente a qualidade e a saúde de suas carnes e de seus consumidores.

A grande escala desse tipo de produção gera uma série de consequências: poluem muito com resíduos e fluidos de todo tipo; as criações avançam sobre a vegetação nativa sendo causa principal de desmatamento; desestrutura as pequenas economias comunitárias; expulsa e marginaliza agricultores familiares, pequenos criadores e comunidades rurais; precariza condições de trabalho e viola leis trabalhistas; e criam condições ideias para o surgimento de novos surtos epidêmicos.

Uma coisa é certa, precisamos comer bem menos carne e de melhor qualidade, fomentar criações de pequena escala, com animais saudáveis que consigam reproduzir seus comportamentos naturais, em sistemas integrados com outras produções agrícolas em estruturadas em cadeias curtas e justas.

Outras seções do documento:
Bem-estar animal e as criações em pequena escala
Um sistema abjeto: do desmatamento ao bife. 
O padrão global de produção de carnes e pandemias
O surgimento do olhar sobre o bem-estar e a realidade industrial.
Dois pesos, duas medidas.
Eles são gigantes mas nós somos muitos. O que podemos fazer?
A filosofia e as ações do Slow Food relacionadas ao bem-estar animal 
Slow Food
Referências

Baixe o Documento de Posicionamento sobre Bem-Estar Animal e Consumo de Carne do Slow Food Brasil para ler o conteúdo na íntegra.

Este documento foi lançado na live Bem-Estar Animal e Consumo de Carne: Responsabilidade Socioambiental, ocorrida em 10 de setembro de 2020 e contou com participação de João Peres (O Joio e O Trigo/Bocado.lat), Tatiana Peebles (Yaguara Ecológico/Slow Food Recife) e Pedro Xavier (GT Slow Meat/Slow Food Mata Atlântica) e mediação de Glenn Makuta (Associação Slow Food do Brasil). 

Assista à live de lançamento do documento no Youtube

Conheça os outros materiais deste projeto sobre o tema:

- Animação Movimento Slow Food e o Bem-Estar Animal:

- Texto Bem-estar animal (e humano), e o que está por trás da indústria patronal da carne, de Ana Mosquera

 

rodape tecendoredes sem fundo site