Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:



O que é Slow Food?

O Slow Food é uma associação internacional sem fins lucrativos fundada em 1986 como resposta aos efeitos padronizantes do fast food. O movimento conta com mais de 100 mil associados de 150 países, conjugando o prazer e a alimentação com consciência ambiental e responsabilidade social. Clique e saiba mais.

Por que o nome Slow Food?

O contraste com o conceito de fast food é muito importante. O nome Slow Food é uma referência a uma nova gastronomia, que começa com a escolha dos alimentos e a forma de produção, respeitando o meio ambiente e os produtores artesanais, chegando até a mesa, onde a convivência e a celebração são fundamentais.

Por que o caracol é o símbolo do Slow Food?

O caracol foi escolhido porque se movimenta lentamente e vai comendo calmamente durante o seu ciclo de vida.

Por que o Slow Food surgiu em Bra na Itália?

Bra, cidade natal do fundador Carlo Petrini, localiza-se numa famosa região italiana de vinhos, trufas brancas, queijos e carne de vaca. Tradicionalmente a gastronomia tem feito parte integrante da socialização da região. Esta cidade foi o berço perfeito para o movimento Slow Food.

O que é um Convívio?

Convivium é uma palavra Latina que significa ‘um festim, entretenimento, um banquete’. O Slow Food usa este nome para seus grupos locais. No Brasil, usamos o nome "Convívio". Os Convívios são a expressão local da filosofia Slow Food. Eles articulam relações com os produtores, fazem campanhas para proteger alimentos tradicionais, organizam degustações e palestras, encorajam os chefs de cozinha a usar alimentos regionais, indicam produtores para participar em eventos internacionais e lutam para levar a educação do gosto às escolas. E, o mais importante: cultivam o gosto pelo prazer e pela qualidade de vida no dia-a-dia. Clique e saiba mais.

Como formar um Convívio?

Para formar um convívio entre em contato através do email: contato@slowfoodbrasil.com

O que é Fundação Slow Food para Biodiversidade?

A Fundação Slow Food para Biodiversidade foi criada para defender a biodiversidade alimentar e tradições gastronômicas em todo o mundo. Seu objetivo é promover um modelo sustentável de agricultura que respeita o meio ambiente, a identidade cultural e o bem estar animal. Clique e saiba mais.

O que é Arca do Gosto?

A Arca do Gosto é um catálogo mundial que identifica, localiza, descreve e divulga sabores quase esquecidos de produtos ameaçados de extinção, mas ainda vivos, com potenciais produtivos e comerciais reais. Clique e saiba mais.

O que são Fortalezas?

As Fortalezas são projetos concretos de desenvolvimento da qualidade dos produtos nos territórios, envolvendo diretamente os pequenos produtores, técnicos e entidades locais. São pequenos projetos dedicados a auxiliar grupos de produtores artesanais e preservar seus produtos tradicionais de qualidade. Clique e saiba mais.

O que é Terra Madre?

Terra Madre é o nome do encontro mundial das comunidades do alimento que ocorreu pela primeira vez em 2004 na Itália e se repete a cada dois anos e também é o nome da rede de comunidades do alimento, jovens, chefs de cozinha e acadêmicos que se articulou a partir desses encontros. Clique e saiba mais.

O que é uma Comunidade do Alimento?

A comunidade do alimento é constituída por todos os sujeitos que operam no setor agro-alimentar, da produção de matérias-primas à promoção de produtos acabados, e que se caracterizam pela qualidade e a sustentabilidade das suas produções. Clique e saiba mais.

O que são as Città Slow (Cidades Slow)?

O Slow Food encoraja o crescimento do movimento das Città Slow, um grupo autônomo de vilas e cidades determinadas a melhorar a qualidade de vida dos seus habitantes, particularmente no que diz respeito à alimentação. As Cidades Slow aderem a uma série de diretrizes para torná-las mais agradáveis para viver, como fechar o centro da cidade ao trânsito um dia por semana ou adotar políticas estruturais para conservar as características da cidade. As Cidades Slow procuram preservar o patrimônio gastronômico, criando espaços e ocasiões para o contato direto entre consumidores e produtores de qualidade. As Cidades Slow estão por toda parte, da Noruega à Austrália, sendo várias dezenas só na Itália.
Para obter mais informações sobre as Cidades Slow, visite www.cittaslow.net

Slow Food é sinônimo de orgânico?

O Slow Food é a favor dos princípios nos quais se baseiam a agricultura orgânica, como promover a agricultura que tem um menor impacto no meio ambiente e a redução do uso dos pesticidas no mundo. No entanto, o Slow Food defende que a agricultura orgânica, quando praticada em larga escala, é muito similar ao sistema convencional de cultivo de monocultura e, consequentemente, a certificação orgânica por si só não deve ser considerada um sinal de que o produto é produzido de forma sustentável. Apesar de muitas das Fortalezas praticarem técnicas orgânicas, poucas delas estão certificadas devido aos elevados custos da certificação. Para se tornarem uma Fortaleza, os produtos têm que ser concordantes com o conceito de agricultura sustentável e, além disso, o Slow Food trabalha para garantir que estes sejam tradicionais, naturais, seguros, e - acima de tudo - de grande qualidade organoléptica (com ricas qualidades de cheiro, sabor, textura e aspectos visuais). 

Qual é a posição do Slow Food em relação aos transgênicos (organismos geneticamente modificados)?

Ainda que não se oponha à pesquisa científica nas universidades e entidades públicas, o Slow Food opõe-se à comercialização e cultivo de sementes de organismos geneticamente modificados (OGM ou transgênicos). Hoje pode-se transplantar um gene de uma espécie para outra, mas ainda não se pode prever ou conter os resultados disso, criando uma ameaça à nossa biodiversidade natural e agrícola.
Outro problema do cultivo de transgênicos (OGM) é a tendência a privar os agricultores da sua liberdade de escolha dos produtos a cultivar. Quando o pólen dos campos de OGM viaja quilômetros e poliniza os campos de cultivo convencional ou orgânico, os agricultores involuntariamente investem capital e trabalho na colheita de culturas que não plantaram. O Slow Food defende que todos os produtos contendo ingredientes transgênicos devem ser devidamente rotulados, permitindo aos consumidores fazerem uma escolha consciente do que apóiam e ingerem.

Como o Slow Food é financiado?

A associação internacional obtém a maioria dos seus fundos das quotas associativas. As receitas do Salone del Gusto e de outros eventos internacionais garantem uma parte dos fundos, a venda de livros e produtos promocionais também contribui para o financiamento do Slow Food. As Associações Nacionais do Slow Food recebem uma parte da quota associativa e obtêm fundos adicionais de outras fontes tais como patrocinadores e instituições. O Slow Food Itália é a Associação Nacional mais antiga, com uma angariação de fundos melhor organizada, incluindo a Slow Food Editore com fins lucrativos. Outra subsidiária do Slow Food Itália igualmente com fins lucrativos é o Slow Food Promozione, que organiza os grandes eventos do Slow Food, vende espaço publicitário nas publicações e procura patrocinadores que condizem com a filosofia do Slow Food. O Slow Food Editore e o Slow Food Promozione, tomando como base os estatutos, investem todo o lucro nas associações.

O Slow Food tem regras quanto à captação de fundos e patrocínios?

Sim. Na base das regras para captação de recursos do Slow Food está o desejo de criar parcerias de longo prazo com os patrocinadores, baseadas num entendimento mútuo e filosofia partilhada. Os patrocinadores não podem desenvolver atividades que entrem em conflito com a filosofia do movimento, e o Slow Food reserva total autonomia no que diz respeito aos patrocinadores - estes não influenciam nas escolhas ou atividades da associação. As regras para captação de fundos encontram-se disponíveis na sua íntegra em www.slowfood.com

Para onde vai a minha quota associativa?

As quotas associativas são repartidas entre os Convívios e os vários departamentos da sede internacional do Slow Food, que proporcionam os benefícios dos associados. Em nível local, é usada para planejar as atividades dos Convívios. A sede internacional usa os fundos para produzir materiais de comunicação e contribui para os projetos da Fundação Slow Food para a Biodiversidade. Após a constituição de uma Associação Nacional, a percentagem da quota dirigida ao Centro de Serviços dos Associados é encaminhada para a delegação nacional.

Posso usar a logomarca do Slow Food nos meus produtos ou restaurante?

Não, a logomarca do Slow Food é uma imagem de marca registrada e apenas pode ser utilizada quando relacionada com a associação nacional, internacional do Slow Food e em eventos dos Convívios. O regulamento completo da utilização das logomarcas do Slow Food está disponível neste link

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s