Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

Texto de Maria Cristina Vannucchi Leme/ Fotos: Roberta Sá

Para a mesa que vai ser posta

Para você o que você gosta: diariamente.

(Nando Reis, Diariamente)

Cozinha é um lugar meio sagrado. Cozinha dos outros, então, nem se fala! Fomos chegando cautelosas, temerosas até. Medo de errar a mão, exagerar no sal, deixar passar do ponto. Eu repetia pra mim mesma: “não somos chefs, somos donas-de-casa”. A ansiedade era muita. Desta vez não eram os filhos que voltavam famintos da escola ou o marido impaciente, reclamando o jantar. Agora eram os clientes! E também, e principalmente, os amigos-convidados-queridos que aguardavam a comida. Nossa reputação estava em jogo! Medo besta! Fomos recebidas com sorrisos e o espaço franqueado, à nossa disposição. Os ajudantes colocados para nos auxiliar. E num piscar de olhos as verduras estavam lavadinhas, o cheiro-verde picado (e era um montão!) e o queijo ralado (e era dos duros!). Toda dona-de-casa deve sonhar com ajudantes assim.

Para beber uma coca: drops

Para ferver uma sopa: graus

(Nando Reis)

A comemoração do Dia da Terra Madre em Florianópolis trouxe ao público a essência do Movimento Slow Food: a celebração do universo simbólico da Ecogastronomia, em seus componentes cultural, social e ambiental, tudo isso embebido pelo prazer de estar à boa mesa e de ser o reflexo natural da própria alimentação saudável.

logo_evento_12-12.jpg

No dia 11 dedezembro, às 09:30am, será a comemoração do Terra Madre Day em Santa Catarina, um eventopara 100 pessoas, no Engenho dos Andrade em Santo Antônio de Lisboa,Florianópolis.

O encontroserá realizado pelos Convivia Engenho da Farinha e Sabor Selvagem/SC, com oapoio do ponto de cultura Arreda-Boi, Vinícola Del Nono, Vinícola Mazon,PROGOETHE, CEPAGRO, Adega Quinta, Palmitos Palma Sul, entre outros.  

Participarãoao evento os convidados representantes da agricultura familiar das comunidadeslocais, grupos regionais de dança, comunidades indígenas, pescadores artesanais e maricultores do litoralcatarinense, artistas e artesãos mostrando seu trabalho ao vivo, cozinheiros,jovens, lideres e associados do movimento Slow Food, acadêmicos, jornalistas,convidados de instituições governamentais e de entidades culturais e sociais, etodos aqueles que têm interesse pelas temáticas abordadas pelo movimento. Uma experiência maravilhosa para os amantes da gastronomiae das tradições regionais.

Chefs de diversas regiões do Brasil realizarão um  almoço com os produtos trazidos pelospróprios produtores, que irão realizar pequenas palestras falando sobre seuscultivos/criações e como obter os seus produtos. Haverá também uma feira deartesanato, de produtos típicos de SC e apresentações culturais durante a tardeonde todos poderão levar para suas casas um pouco do regionalismo típicocatarinense.

Valor: R$20,00 (inclui a sequência de pratos, bebidas e sobremesa)

R$30,00 com a camisa do Terra Madre Day 2010!

 

Interessadoscontactar por e-mail:

bernardo.gastronomia@gmail.com ou tel:47-9986-8516 

jadersomandrade@hotmail.comou tel: 47-9643-7058

philipebellettinni@gmail.comou tel: 47-9609-5818 

 

Grupo Sabor do Cerrado no Assentamento. Foto: Central do CerradoO Grupo Sabor do Cerrado é composto por 12 mulheres e surgiu a partir do projeto "Educando para a Sustentabilidade", desenvolvido desde 2002 pelo Grupo de Trabalho sobre Reforma Agrária (GTRA) , da Universidade de Brasília (UnB) . Esse trabalho foi realizado junto às famílias de agricultores do Assentamento Colônia I, localizado no Município de Padre Bernardo - GO, a 70 km de Brasília.

Em 2005 receberam apoio do Programa de Pequenos Projetos Ecossociais (PPP-ECOS ) para estruturar a cozinha comunitária. Instalada na sede da associação, a cozinha permitiu que as mulheres produzissem salgados, doces, bolos, tortas, biscoitos, etc. que são utilizados nos lanches e coquetéis fornecidos pela Central do Cerrado . Em 2010, com apoio da Fundação Banco do Brasil , foram adquiridos novos equipamentos para a cozinha, o que contribuiu para aprimorar ainda mais o trabalho do grupo.

Grande parte dos alimentos oferecidos pelo Grupo Sabor do Cerrado são confeccionados a partir de produtos fornecidos por outras organizações da Central do Cerrado , tais como pequi, baru, babaçu, jatobá, buriti, etc. Chefs de Cozinha voluntários do Convivium Slow Food Cerrado têm apoiado a Central do Cerrado e o Grupo Sabor do Cerrado no desenvolvimento de novas receitas e do serviço do coquetel e lanches.

A Quinta Slow é um momento de convivencia dos associados e simpatizantes do Slow Food Cerrado. É aberta a todos que desejam participar de nossas atividades e discussões, e acontece toda primeira quinta-feira de cada mês no Restaurante Panelinha .

Para nossa segunda edição, que acontecerá no próximo dia 02/12, a partir das 19h, o Panelinha nos acolherá com as seguintes preparações:

Entradinha: caldinho de couve flor com crispies de focaccias.
Entrada: Mix de folhas verdes com crispie de buriti ao toque de babaçu.
Prato Principal: Escondidinho de jerimum com linguiça apimentada ao perfume de pequi.
Opção vegetariana: Escondidinho de jerimum com legumes grelhados.

O valor: R$ 18,90 por pessoa sem bebidas.

Para quem não conhece, o Restaurante Panelinha fica no fim da Asa Norte: SHCN CL 316, Bloco E, Loja 20

Apóie a divulgação e participe!

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s