Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

É mês de festas Juninas, que pedem muito milho em suas receitas, e a proposta das Slow Chefs da Vez Darlana Godoi e Kátia Gonzaga é homenagear estas festas e este alimento tão tradicional do nosso Cerrado.

Vamos também conhecer mais um parceiro em nossa busca por uma alimentação boa, limpa e justa: nesta Quinta Slow as verduras e legumes serão fornecidos pela Chácara Colina e o pessoal estará lá para nos contar mais sobre o trabalho que desenvolvem.

O cardápio será:

Entrada: Cuscuz com legumes e shitaki.

Prato Principal: Chica Doida:  "Esta receita, uma das mais antigas e deliciosas da cozinha de Goiás, tem origem no século XIX.  Segundo a tradição oral, foi criada por uma cozinheira chamada Chica, na cidade histórica de Pirenópolis, monumento nacional, a 128 quilômetros de Goiânia." É um prato feito com massa de milho, queijo e linguiça, uma pamonha de panela.

Opção Vegetariana: Chica Doida sem linguiça com muito queijo.

Sobremesa: Doce de abóbora e mamão

  • Quando: 02 de Junho (primeira quinta-feira do mês), às 20h30.
  • Quanto: R$19,90 por pessoa (bebidas não incluídas).
  • Onde: no Restaurante Panelinha, que fica no final da Asa Norte: SHCN CL 316, Bloco E, Loja 20, telefone (61) 3041-5070.

Lugares limitados, participação somente com reservas pelo telefone (61) 3041-5070.

As reservas são de lugares, em mesas coletivas. O jantar é servido para o grupo todo ao mesmo tempo, para propiciar a convivência.

A Quinta Slow é o encontro mensal dos associados e simpatizantes do Slow Food Cerrado. É aberta a todos que desejem participar de nossas atividades e discussões, mediante reserva antecipada, e acontece toda primeira quinta-feira de cada mês no Restaurante Panelinha.

A Chácara Colina entrega cestas dos produtos em domicílio. Solicite informações pelos telefones: (61) 8230-8545 e 9971 0507, ou por e-mail: chacaracolina@gmail.com

Participe e apóie na divulgação.

Em maio a Quinta Slow, do Slow Food Cerrado , fará uma homenagem às Mães, e as Slow Chefs da Vez serão Mãe - a Heloísa,  Filha - a Tereza, e Neta - a Sara, de 9 anos.

Elas são da Amazônia, e vão preparar:

Entrada: Salada de folhas

Prato Principal: Tambaqui assado recheado com farofa de jambú

Opção Vegetariana: Legumes à casaca

Sobremesa: Torta recheada com doce de cupuaçu e coberta com castanhas do Brasil

 

  • Quando: 05 de maio (primeira quinta-feira do mês), às 20h30. Cantaremos PARABÉNS para as Mães.
  • Quanto: R$28,00 por pessoa (bebidas não incluídas).
  • Onde: no Restaurante Panelinha, que fica no final da Asa Norte: SHCN CL 316, Bloco E, Loja 20, telefone (61) 3041-5070.

Lugares limitados, participação somente com reservas pelo telefone (61) 3041-5070.

As reservas são de lugares, em mesas coletivas. O jantar é servido para o grupo todo ao mesmo tempo, para propiciar a convivência.

A Quinta Slow é o encontro mensal dos associados e simpatizantes do Slow Food Cerrado. É aberta a todos que desejem participar de nossas atividades e discussões, mediante reserva antecipada, e acontece toda primeira quinta-feira de cada mês no Restaurante Panelinha.

Participe e apóie na divulgação.

No dia 25 de março realizamos em Pirenópolis, na chácara Mar e Guerra, de propriedade do Sr. Geraldo e Aparecida uma pamonhada, dentro da filosofia Slow Food de resgatar a cultura culinária local, aproximar produtores e consumidores e valorizar as práticas comuns do meio rural ligadas aos "fazeres e saberes alimentares", o preparo coletivo as festas, os mutirões,etc. O evento foi uma delícia, riquíssimo em comida e convivialidade! Ah, e nacionalidades,pois quem faz o relato é Ingrid Holzmayer, voluntária da WWOOF, Associação Internacional que representa um esforço mundial para promover o conceito de agricultura orgânica, agricultura sustentável e os hábitos de consumo responsável. Como parte deste esforço, as fazendas oferecem acolhimento a pessoas do mundo inteiro que queiram a oportunidade de aprender fazendo. Em Pirenópolis temos duas propriedades inscritas neste programa, a Chácara Pasárgada, de Kátia Karam e Leonardo Cheib, que produzem leite orgânico, e o Sítio Galeria, de Murielle Dargaud, todos sócios do convívio local.

Com vocês o texto de Ingrid, que contou com a colaboração na tradução do inglês, do casal Laure e Giuseppe Muscouri, italianos residentes em Pirenópolis, também membros do convívio, que trabalham com seu Geraldo na chácara, na produção e venda de cestas de produtos orgânicos. (Não falei que a pamonhada tinha sido internacional!!! Esqueci, a Ingrid é alemã de Berlim, mas comunicava-se comigo em  Italiano, rsrsrs) 

A primeira quinta-feira de Abril está chegando e com ela a nossa já tradicional Quinta Slow. Nesta ocasião os Slow Chefs da Vez serão os novos convivas André Correto e Telma Castello Branco, que propuseram o seguinte cardápio:

  • Entrada fria: saladinha de feijão fradinho com cebola roxa, acelga e tomatinho cereja temperado com azeite de babaçu.
  • Entrada quente: Consomé de inhame
  • Prato principal: Surubim ao molho de camarões guarnecido com arroz de buriti.
  • Opção vegetariana: Abobrinhas ao funghi guarnecido com arroz de buriti
  • Sobremesa: Torta de cupuaçu
  • Sugestão para finalizar: Café Espresso Serra Azul (orgânico, local, produzido no Lago Oeste – Brasília)

  • Quando: 07 de abril (primeira quinta-feira do mês), as 20h30
  • Quanto: R$28,00 por pessoa (bebidas não incluídas). Café Espresso Serra Azul: R$2,00
  • Onde: no Restaurante Panelinha, que fica no final da Asa Norte: SHCN CL 316, Bloco E, Loja 20, telefone (61) 3041-5070.

Importante: Lugares limitados, participação somente com reservas pelo telefone (61) 3041-5070. As reservas são de lugares, em mesas coletivas. O jantar é servido para o grupo todo ao mesmo tempo, para propiciar a convivência.

A Quinta Slow é o encontro mensal dos associados e simpatizantes do Slow Food Cerrado. É aberta a todos que desejem participar de nossas atividades e discussões, mediante reserva antecipada, e acontece toda primeira quinta-feira de cada mês no Restaurante Panelinha.

Participe e apóie na divulgação.

Texto de Maria Cristina Vannucchi Leme/ Fotos: Roberta Sá

Para a mesa que vai ser posta

Para você o que você gosta: diariamente.

(Nando Reis, Diariamente)

Cozinha é um lugar meio sagrado. Cozinha dos outros, então, nem se fala! Fomos chegando cautelosas, temerosas até. Medo de errar a mão, exagerar no sal, deixar passar do ponto. Eu repetia pra mim mesma: “não somos chefs, somos donas-de-casa”. A ansiedade era muita. Desta vez não eram os filhos que voltavam famintos da escola ou o marido impaciente, reclamando o jantar. Agora eram os clientes! E também, e principalmente, os amigos-convidados-queridos que aguardavam a comida. Nossa reputação estava em jogo! Medo besta! Fomos recebidas com sorrisos e o espaço franqueado, à nossa disposição. Os ajudantes colocados para nos auxiliar. E num piscar de olhos as verduras estavam lavadinhas, o cheiro-verde picado (e era um montão!) e o queijo ralado (e era dos duros!). Toda dona-de-casa deve sonhar com ajudantes assim.

Para beber uma coca: drops

Para ferver uma sopa: graus

(Nando Reis)

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s