Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

expedio_amaznia.jpg

A Associação e convivium Sabor Selvagem filiada ao movimento Slow Food internacional e Slow Food Brasil realizará a 4ª Expedição à Amazônia que conta com a participação de estudantes Gastronomia de Santa Catarina, Chefs de cozinha de diversas partes do Brasil, Biólogos e profissionais do setor Turístico e Hoteleiro.

Essa expedição tem como objetivo colocar os participantes em contato com a cultura amazônica e sua enorme biodiversidade, para que possam agregar o conhecimento adquirido com essa experiência a seus objetivos profissionais e suas pesquisas acadêmicas, valorizando assim a cultura gastronômica brasileira.

O grupo chegará a Belém do Pará no dia 15/07/2011 e nos quinze dias seguintes os participantes conhecerão diversas cidades paraenses, ilhas, praias, mercados públicos e farão visitas a diversos pontos turísticos. Durante a estadia no Complexo Ecológico Parque dos Igarapés em Belém, serão ministrados pelos alunos, cursos de boas práticas na manipulação de alimentos aos funcionários do parque.

Irão também ao Arquipélago do Marajó, o maior arquipélago fluviomarinho do mundo, Ilha do Mosqueiro, Ilha de Maiandeua, cidade de Bragança, onde vão conhecer a famosa praia de Ajuruteua e diversas casas de farinha situadas na cidade. Os estudantes, cozinheiros e Chefs realizarão três eventos gastronômicos promovidos pelo Chef Ofir Oliveira, que é considerado um dos maiores nomes na divulgação da cozinha Amazônica pelo mundo, em Belém, Bragança e no Marajó. Os eventos terão enfoque na gastronomia tradicional paraense e utilizará ingredientes selecionados pelo grupo na viagem. O grupo retornará à Santa Catarina no dia 31/07/2011.

Toda a viagem será registrada em forma de documentário audiovisual pelas produtoras Mekaron filmes e Duck produções e fotografada pelo Fotógrafo e Designer carioca Pedro Kuperman. O material originado da viagem, além de ser disponibilizado aos órgãos de turismo reponsáveis pela gestão do potencial turístico do estado do Pará, será exibido em eventos internacionais promovidos pelo Slow Food, mostras nacionais e internacionais de cinema e em universidades de todo o Brasil. A idéia é que essa experiência possa ser partilhada com estudantes do Brasil e do mundo e que estes possam ter mais contato e conhecimento das questões de ecologia e preservação, tão importantes para a preservação e valorização da culinária brasileira.

O Convívio Slow Food Pirenópolis  esteve reunido no dia 14 de Abril no Armazém da Rua para compartilhar mais umavez um momento de gastronomia alegre. E mais uma vez o nosso encontro foiinternacional, além de brasileiros de varias regiões, tinham quatro franceses eum italiano. Também participaram estudantes e professores do curso degastronomia da UEG de Pirenópolis e membros do convívio.

Desta vez fomos desvendar os segredos do verdadeiro empadão goiano. 

É mês de festas Juninas, que pedem muito milho em suas receitas, e a proposta das Slow Chefs da Vez Darlana Godoi e Kátia Gonzaga é homenagear estas festas e este alimento tão tradicional do nosso Cerrado.

Vamos também conhecer mais um parceiro em nossa busca por uma alimentação boa, limpa e justa: nesta Quinta Slow as verduras e legumes serão fornecidos pela Chácara Colina e o pessoal estará lá para nos contar mais sobre o trabalho que desenvolvem.

O cardápio será:

Entrada: Cuscuz com legumes e shitaki.

Prato Principal: Chica Doida:  "Esta receita, uma das mais antigas e deliciosas da cozinha de Goiás, tem origem no século XIX.  Segundo a tradição oral, foi criada por uma cozinheira chamada Chica, na cidade histórica de Pirenópolis, monumento nacional, a 128 quilômetros de Goiânia." É um prato feito com massa de milho, queijo e linguiça, uma pamonha de panela.

Opção Vegetariana: Chica Doida sem linguiça com muito queijo.

Sobremesa: Doce de abóbora e mamão

  • Quando: 02 de Junho (primeira quinta-feira do mês), às 20h30.
  • Quanto: R$19,90 por pessoa (bebidas não incluídas).
  • Onde: no Restaurante Panelinha, que fica no final da Asa Norte: SHCN CL 316, Bloco E, Loja 20, telefone (61) 3041-5070.

Lugares limitados, participação somente com reservas pelo telefone (61) 3041-5070.

As reservas são de lugares, em mesas coletivas. O jantar é servido para o grupo todo ao mesmo tempo, para propiciar a convivência.

A Quinta Slow é o encontro mensal dos associados e simpatizantes do Slow Food Cerrado. É aberta a todos que desejem participar de nossas atividades e discussões, mediante reserva antecipada, e acontece toda primeira quinta-feira de cada mês no Restaurante Panelinha.

A Chácara Colina entrega cestas dos produtos em domicílio. Solicite informações pelos telefones: (61) 8230-8545 e 9971 0507, ou por e-mail: chacaracolina@gmail.com

Participe e apóie na divulgação.

Em maio a Quinta Slow, do Slow Food Cerrado , fará uma homenagem às Mães, e as Slow Chefs da Vez serão Mãe - a Heloísa,  Filha - a Tereza, e Neta - a Sara, de 9 anos.

Elas são da Amazônia, e vão preparar:

Entrada: Salada de folhas

Prato Principal: Tambaqui assado recheado com farofa de jambú

Opção Vegetariana: Legumes à casaca

Sobremesa: Torta recheada com doce de cupuaçu e coberta com castanhas do Brasil

 

  • Quando: 05 de maio (primeira quinta-feira do mês), às 20h30. Cantaremos PARABÉNS para as Mães.
  • Quanto: R$28,00 por pessoa (bebidas não incluídas).
  • Onde: no Restaurante Panelinha, que fica no final da Asa Norte: SHCN CL 316, Bloco E, Loja 20, telefone (61) 3041-5070.

Lugares limitados, participação somente com reservas pelo telefone (61) 3041-5070.

As reservas são de lugares, em mesas coletivas. O jantar é servido para o grupo todo ao mesmo tempo, para propiciar a convivência.

A Quinta Slow é o encontro mensal dos associados e simpatizantes do Slow Food Cerrado. É aberta a todos que desejem participar de nossas atividades e discussões, mediante reserva antecipada, e acontece toda primeira quinta-feira de cada mês no Restaurante Panelinha.

Participe e apóie na divulgação.

No dia 25 de março realizamos em Pirenópolis, na chácara Mar e Guerra, de propriedade do Sr. Geraldo e Aparecida uma pamonhada, dentro da filosofia Slow Food de resgatar a cultura culinária local, aproximar produtores e consumidores e valorizar as práticas comuns do meio rural ligadas aos "fazeres e saberes alimentares", o preparo coletivo as festas, os mutirões,etc. O evento foi uma delícia, riquíssimo em comida e convivialidade! Ah, e nacionalidades,pois quem faz o relato é Ingrid Holzmayer, voluntária da WWOOF, Associação Internacional que representa um esforço mundial para promover o conceito de agricultura orgânica, agricultura sustentável e os hábitos de consumo responsável. Como parte deste esforço, as fazendas oferecem acolhimento a pessoas do mundo inteiro que queiram a oportunidade de aprender fazendo. Em Pirenópolis temos duas propriedades inscritas neste programa, a Chácara Pasárgada, de Kátia Karam e Leonardo Cheib, que produzem leite orgânico, e o Sítio Galeria, de Murielle Dargaud, todos sócios do convívio local.

Com vocês o texto de Ingrid, que contou com a colaboração na tradução do inglês, do casal Laure e Giuseppe Muscouri, italianos residentes em Pirenópolis, também membros do convívio, que trabalham com seu Geraldo na chácara, na produção e venda de cestas de produtos orgânicos. (Não falei que a pamonhada tinha sido internacional!!! Esqueci, a Ingrid é alemã de Berlim, mas comunicava-se comigo em  Italiano, rsrsrs) 

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s