Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

A Comunidade é organizada como uma Associação dos Pequenos Agrossilvicultores do Projeto Reca, e também como cooperativa, para a comercialização dos produtos. Surgiu em 1991, a partir de uma iniciativa coletiva entre agricultores de várias partes do Brasil que foram assentados no território do antigo seringal Santa Clara, no estado de Rondônia. Esses agricultores buscavam uma forma de manejar suas áreas que fosse compatível com as características ambientais da Amazônia, bem diferentes das características de suas regiões de origem. Uniram-se, então, com os antigos seringueiros da região, os quais já conheciam a área antes da chegada dos assentados, e fundaram a Associação, que hoje desenvolve o Projeto Reca (Reflorestamento Econômico Consorciado Adensado), produzindo frutos nativos da Amazônia para consumo in natura e também produtos processados a partir destes.O Projeto Reca trabalha com a produção agrícola em Sistemas Agroflorestais (Safs) desde a sua origem, há 25 anos, com a ideia da diversificação de produtos a partir do cultivo de frutos nativos da região amazônica, de forma coletiva.

Os agricultores envolvidos são organizados em 11 grupos, sendo que cada grupo possui uma liderança que articula as ações do Projeto Reca em suas microrregiões. O carro-chefe da associação é o Cupuaçu, que inclusive dá o nome à Comunidade do Alimento como fruto principal. Atualmente o Projeto Reca é a comunidade que tem a maior produção de cupuaçu de forma organizada do Brasil. O cupuaçuzeiro é cultivado juntamente de outras plantas nativas, como a castanheira, a pupunha e o açaizeiro, muito utilizadas também.

A ideia da iniciativa, que perdura até os dias de hoje, é trabalhar com o reflorestamento produtivo em consórcio, diversificando a produção dos frutos. Além do cupuaçu, da castanha, da pupunha e do açaí, outros frutos também são produzidos pelos agricultores familiares, mas em baixa escala, como bacaba, araçá-boi, abacaxi, goiaba, acerola, dentre outros.

A maior parte dos produtos é produzida de acordo com o manejo agroecológico, possuindo também certificação de produção orgânica. As famílias organizam-se de maneira coletiva, e são os próprios agricultores que realizam também a comercialização, de forma associativista. Além disso, a prioridade de produção é dada a frutos de plantas nativas da Amazônia, com o intuito de manter e fortalecer a cultura local.

Os principais produtos (cupuaçu, castanha, pupunha e açaí) são amplamente apreciados pela população do Norte do país e também de outras regiões, tanto pelos ótimos sabores, quanto pelas propriedades nutricionais.

Estado/Região/Território: Rondônia/Distrito de Nova Califórnia/Região Norte

Municípios: Porto Velho

Referência da Comunidade: Hamilton Condack, (69) 3253-1007 e (69) 3253-1046,  

Esta Comunidade do Alimento foi revisada pelo projeto:

 

Logo Novo Projeto site copy

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s