Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

Organizam-se na forma da Associação dos Agricultores Familiares do Alto Urupadi (AAFAU), fundada em 2015, e hoje e acessam algumas feiras de grande importância, como a Feira da Agricultura Familiar da Universidade Federal do Amazonas, em Manaus, realizada uma vez a cada mês. Contam também com o apoio do Núcleo de Socioeconomia da UFAM, o NUSEC, e outros grupos que auxiliam no processo de reconhecimento da AAFAU como uma Organização de Controle Social, para a certificação dos produtores como orgânicos. São grandes conquistas em pouco mais de um ano de associação, fruto de muitos anos de luta dos agricultores do Alto Urupadi.

Atualmente, a luta dos produtores ribeirinhos tradicionais é a busca pelo mercado que oferte o preço justo para o guaraná orgânico e seus derivados, objetivo que está sendo apoiado por professores/pesquisadores da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Todavia, isto proporcionaria melhoria na qualidade de vida dos produtores, evitaria que estes tornem-se reféns de empresas processadoras localizadas em Maués, como a Ambev, bem como atravessadores, que podem manipular os guaranacultores.

Quase toda a produção de guaraná em pó e em bastão, além de outros alimentos orgânicos, é vendida na região de Maués mesmo, já que existe uma grande dificuldade para escoar essa produção para outros locais mais distantes.  

Os agricultores manejam, especialmente, os guaranazais nativos, além de culturas como banana, açaí, laranja, cará, jerimum, mandioca e seus derivados, como a farinha de mandioca. A agricultura é totalmente praticada sob o sistema de cultivo orgânico. A caça e a pesca tradicionais, destinadas ao consumo familiar, também são praticadas. Outra atividade de grande importância é a fabricação artesanal de forno de barro, que serve para a torrefação do guaraná, farinha e outros.

O rio Urupadi é um afluente do rio Parauari e deságua no rio Maués-açú. Essa região é conhecida como o maior banco genético de guaraná nativo, por ter guaraná em “profusão”, e é a maior produtora de guaraná nativo domesticado do mundo.

 

Estado/Região/Território: Amazonas/Região Norte/Alto rio Urupadi

Municípios: Maués

Referência da Comunidade: José Cristo de Oliveira - 92 99314-1197 - guaranaurupadi@gmail.com

 

Esta Comunidade do Alimento foi incluída na rede Slow Food pelo projeto:

Logo Novo Projeto site copy

 

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s