Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

Estão organizados na forma da associação denominada Associação dos Pescadores e Agricultores de Campinhos (APAC) e também como a Associação Mãe dos Extrativistas (AMEX), de forma que 130 famílias que residem na área de atuação da APAC e aproximadamente 1000 famílias na área da AMEX.

A principal atividade da comunidade é o extrativismo de mariscos, com destaque ao catado de aratu. Essa atividade é realizada de forma artesanal, usualmente por mulheres. É uma comunidade de remanescentes quilombolas formada por pescadores e marisqueiras e suas respectivas famílias, em que é comum o grande número de filhos por família, que ajudam nas atividades. Por pertencer a uma reserva extrativista (RESEX), além de possuir a cooperativa da própria comunidade, está inserida na cooperativa mãe, como uma central de cooperativas, denominada AMEX.

O aratu é um crustáceo que mede cerca de 6 centímetros de largura e possui coloração vermelha nas patas e negra no casco. A pesca consiste em lançar uma isca presa a uma vara de pescar e cantar, ou fazer qualquer tipo de barulho, para que o aratu se aproxime a agarre a isca com a puã, então a marisqueira coleta-o. Essa atividade é repetida numerosas vezes durante a maré-baixa, visto que só se pode coletar um aratu por vez, sendo necessário muitos exemplares para fazer o catado. Interessante observar que para beneficiar 1 kg de catado de aratu, são necessários 120 aratus.  Apesar de também produzir sururu, siri, caranguejo e ostra, a principal fonte de renda para as marisqueiras na comunidade de Campinhos está no Catado de Aratu.

Após a extração do aratu, as marisqueiras se dirigem para as suas casas na comunidade, onde cozinham o animal no fogão a lenha. Esse momento também representa um importante momento de congregação na comunidade, já que os quintais são justapostos, e é na hora desse beneficiamento que elas  conversam e trocam de experiências. Em seguida o catado é embalado e congelado. É preciso ressaltar que o catado de aratu possui alta liquidez e muitas vezes antes da produção, já é vendido. Existem processos semelhantes para a ostra e o caranguejo, porém com suas especificidades

 

Estado/Região/Território: Bahia/Nordeste

 

Esta Comunidade do Alimento foi incluída pelo projeto:

 Logo Novo Projeto site copy

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s