Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

A Comunidade está organizada como o Núcleo de Produção Dendê do Centro de Educação e Cultura do Vale do Iguape. As comunidades do Kaonge, Dendê, Kalembá, Engenho da Ponte, Engenho da Praia e Tombo são comunidades quilombolas localizadas no Recôncavo Baiano, que ainda lutam pela demarcação do seu território e reconhecimento como unidade quilombola. São produtoras de azeite de dendê, artesanato, mariscos e frutas, além de outras atividades voltadas para a apicultura e turismo (passeios ecológicos e históricos com o apoio da Bahiatursa, nos quais o visitante tem acesso a história de resistência e luta desses povos que sobreviveram às opressões sofridas na época da escravidão no Brasil). A organização CECVI, enquanto centro de educação e cultura, tem por finalidade promover o desenvolvimento das comunidades, economicamente, culturalmente, politicamente e através da educação, por meio de oficinas e do ponto de cultura.

Nas comunidades quilombolas, é produzido o azeite de dendê no pilão, que consiste em macerar o fruto do dendê cozido no pilão, atividade é realizada pelas mulheres das comunidades. Em seguida, a massa obtida é lavada e os caroços e bagaços são retirados durante o processo de lavagem. Com isso, se obtém o azeite de dendê. Há uma diferenciação do azeite nas comunidades quilombolas, em função da adição de ervas locais com a finalidade de temperar e atribuir sabor ímpar ao azeite de dendê produzido na Bacia do Iguape. O dendê e a ostra são os principais produtos dessas comunidades e compõem a maior parte da renda das famílias.

O azeite de dendê no pilão é um produto da Arca do Gosto e é produzido em comunidades quilombolas da Bacia do Iguape, Recôncavo Baiano, obtido a partir de uma relação equilibrada entre o produtor e o meio ambiente, baseada em uma prática verde, correta, que valoriza o meio ambiente. Essas características fazem com que o azeite de dendê seja um produto gastronômico ecologicamente correto, e que proporciona valor nutricional à alimentação e sem danos à biodiversidade.

O dendezeiro é uma palmeira comumente encontrada no estado da Bahia.  A colheita do fruto dessa árvore, o dendê, é feita de forma extrativista, e consiste em um trabalho que demanda bastante conhecimento quanto ao ponto de maturação do fruto para se fazer a extração. Da prensagem e cozimento dos frutos de dendê se obtém o azeite, que é um óleo denso de coloração avermelhada e sabor adocicado. Nas comunidades quilombolas da Bacia do Iguape, o dendê possui uma especificidade, pois são adicionadas especiarias locais, a fim de conferir um sabor ímpar ao óleo.

As comunidades quilombolas da Bacia do Iguape priorizam a boa relação entre ser humano e natureza, por meio do cultivo sustentável visando a proteção da biodiversidade regional e perpetuidade das culturas. Nesse sentido, a preocupação com o meio ambiente, vem da prática extrativista sem mecanização, respeitando o ciclo produtivo da árvore. Esse respeito ao meio ambiente ocorre ao longo da cadeia produtiva, pois o beneficiamento é realizado pelas famílias quilombolas e com preocupação com a higiene do produto artesanal. Por isso, toda preocupação com higiene e boas práticas de fabricação  garantem  que o produto chegue ao consumidor de forma segura para o seu consumo.

Por ser produzido nas comunidades quilombolas, não existem relações trabalhistas consolidadas entre os agentes da cadeia produtiva. No entanto, existe equilíbrio nas relações apesar de não haver formalização. O azeite de dendê é a principal fonte de renda das famílias produtoras, sendo esse produto de suma importância para a continuidade e desenvolvimento das comunidades quilombolas. Por isso, é um alimento justo, que provém remuneração às famílias de ex-escravos. O equilíbrio entre terra-produtor-consumidor proporciona uma relação comercial justa para todos os envolvidos.

Na atividade turística tem-se a Rota da Liberdade que representa um turismo étnico de elevada qualidade, proporcionando aos visitantes um mergulho na história dos antepassados dessas comunidades.

 

Estado/Região/Território: Bahia/Recôncavo Baiano/Região Nordeste

Municípios: Cachoeira

Referência da Comunidade: Ananias Viana, (71) 99923-0116, ananiasviana@cecvi.org.br

 

Esta Comunidade do Alimento foi incluída na rede Slow Food pelo projeto:

Logo Novo Projeto site copy

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s