Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

O Parque do Xingu é o terceiro maior parque indígena do Brasil. É habitado por 5.000 indígenas que representam 16 diferentes grupos étnicos e 204 tribos. Os Kaiabi plantam frutas tropicais e raízes, e são caçadores e pescadores. A comunidade de produtores de frutas tem 1.100 membros. Uma das principais culturas é o amendoim (Arachis hypogaea), que é considerado uma dádiva do deus das terras cultivadas. Depois de colhido, o amendoim pode ser comido cru, torrado ou moído. O amendoim moído é usado para fazer um tipo de polenta, que é comida com milho, batata doce ou arroz. O amendoim também pode ser misturado com mandioca e assado numa forma ou enrolado em folhas de bananeira para fazer uma espécie de bolo. A associação espera poder assegurar que as 36 variedades de amendoim atualmente conhecidas sejam reconhecidas e protegidas.

Estado/Região/Território: Noroeste do Estado do Mato Grosso, na região abrangida pela bacia formadora do rio Tapajós, um afluente do Amazonas
Municípios: O Parque Indígena do Xingu abrange vários municípios. A aldeia Kwaruja está inserida nos limites do Município de Gaúcha do Norte

Coordenador(a) da Comunidade
Tuiaraiup Kaiabi, telefone +55 (63) 3478-1948
atix@brturbo.com.br

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s