Slow Food Brasil

Cadastre o seu e-mail e receba novidades:

A Comunidade é organizada por uma Associação dos Trabalhadores Rurais do Projeto de Assentamento Vereda II (ASTRUV). Localizada a aproximadamente 60 Km de Padre Bernardo, em Goiás, o assentamento Vereda II concentra cerca de 148 famílias segundo o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA). O Projeto de Assentamento Vereda II foi criado a partir da desapropriação de uma fazenda onde se desenvolvia criação extensiva de gado de corte. Tal atividade acarretou na supressão de grande parte da vegetação nativa em favor das áreas de pastagens. Com o passar dos anos, a paisagem original foi se regenerando na maioria das parcelas, fazendo com que boa parte do projeto voltasse a apresentar árvores características da região. Dentre as espécies nativas presentes, com grande potencial de produção destacam-se o baru, a cagaita, o pequi, o jatobá, o buriti, o cajuzinho, a mangaba, o araticum e a gabiroba.

As mulheres que residem e realizam suas atividades produtivas no assentamento apresentam baixa renda e baixo grau de escolaridade, com ensino fundamental incompleto. Boa parte dessas agricultoras recebe benefícios sociais como o Bolsa Família. Elas desenvolvem tanto atividades domésticas, quanto atividades produtivas em suas jornadas diárias. Nesse grupo há mulheres sem companheiros que são responsáveis pela renda da família. De modo geral, o grupo encontra-se em extrema vulnerabilidade social e econômica, por conta da baixa condição de geração de renda.

Entre as atividades, está a extração de frutos nativos do Cerrado como cajuzinho, araticum, gabiroba, jatobá e buriti. Apesar da grande variedade, o grupo de mulheres se destaca pela extrativismo e processamento do baru – que pode se transformar em farinha, paçoca e também é comercializado na versão torrada. Outro ingrediente, que apresenta alto valor nutricional, é o mesocarpo do baru – que pode ser vendido na versão natural ou desidratada. Semanalmente o grupo comercializa os produtos no Mercado da Agricultura Familiar do CEASA.

Os frutos do cerrado são saborosos e apresentam alto valor nutricional e, como são ingredientes de extrativismo, todos são livres de agrotóxicos. Os valores praticados pelas produtoras ainda estão aquém dos valores comerciais reais, por conta da falta de um eficiente sistema de manipulação, industrialização e comercialização.

Embora haja grande produção de frutas nativas e convencionais neste assentamento, a venda de produtos naturais ou processados não é significativa, pois muitas dessas frutas concentram sua produção em determinadas estações do ano, geralmente em épocas de preços menores e de grande oferta.  Além disso, não há suficiente organização dos agricultores para fins comerciais. Os agricultores não possuem meios de processar adequadamente tais produtos, o que se tornaria grande vantagem competitiva na construção de uma estratégia de mercado.  A ausência de uma estrutura agroindustrial para recebimento, armazenamento e processamento das frutas nativas do cerrado, bem como das exóticas, denominadas convencionais, produzidas nas parcelas deste assentamento, impede o aproveitamento racional destes alimentos, o que acarreta na redução das possibilidades de geração de renda das famílias assentadas.

Boa parte dos frutos do Cerrado produzidos no assentamento compõem a Arca do Gosto: cajuzinho, araticum, gabiroba, jatobá, buriti e baru. Apesar disso, não tem ligação com nenhum nó da rede.  

 

Estado/Região/Território: Goiás/Região Centro-Oeste

Municípios: Padre Bernardo

Referência da Comunidade:  América Marques Cortes, (61) 9847-9909, alvaro.castro@emater.df.gov.br

Esta Comunidade do Alimento foi incluída na Rede Slow Food pelo projeto:

 Logo Novo Projeto site copy

Conheça mais sobre Slow Food InternacionalFundação Slow Food para BiodiversidadeTerra MadreUniversidade das Ciências Gastronômicas

» SLOW FOOD BRASIL | Login »»

© 2013 Slow Food Brasil. Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.
Design e desenvolvimento: DoDesign-s