A pitomba (Talisia esculenta), também conhecia por olho-de-boi, caruiri, pitomba da mata e pitomba de macaco, é uma árvore pertencente à família das Sapindáceas que pode atingir até 12 metros de altura e pode ser vista crescendo nos quintais e nas praças do Nordeste do Brasil. O nome pitomba é originário do tupi e significa sopapo, bofetada ou chute forte.

Forma inflorescências (panículas) de flores miúdas e brancas, que se abrem geralmente entre agosto e outubro. 

A fruta, que mede aproximadamente dois centímetros de diâmetro, é parente da lichia; os frutos formam cachos que podem ser colhidos entre os meses de janeiro e abril, geralmente. Sua fina, suculenta e translúcida polpa, de cor esbranquiçada, é levemente ácida e doce, de sabor muito agradável. Fica protegida por uma casca dura e quebradiça de cor marrom. A fruta é muito consumida in natura ou na forma de licores. Para comê-la, basta  quebrar a casca com os dentes e sugar o conteúdo até que fique somente o caroço. Dificilmente é usada para doces.

Apesar do grande potencial de comercialização, é muito pouco conhecida e difundida fora da região Nordeste, onde seu uso é intenso. Mesmo assim, há poucas informações sobre seu consumo tradicional, mesmo apresentando muitas propriedades desejáveis como alto nível de vitaminas C, A, ferro, cálcio e proteína. 

Sobre suas características medicinais, ajuda no fortalecimento do sistema imunológico e também age na proteção do sistema vascular. É  rica em ferro e combate à anemia, colaborando na formação de hemoglobina. Age como um poderoso antioxidante, que ajuda a combater os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento precoce. Além disso, age como um fortalecedor dos ossos e auxiliar na função glandular, favorecendo, inclusive, a cicatrização de feridas. É um poderoso adstringente e anti diarreico, sendo muito eficaz para auxiliar aqueles que possuem problemas intestinais. O chá das sementes é utilizado para amenizar os problemas de desidratação. Por outro lado, o chá das folhas é indicado para as “dores de cadeira” e para os problemas renais.

Referências:
livro: Lorenzi, H. et al., 2006. Frutas Brasileiras e Exóticas Cultivadas (de consumo in natura)
artigo: Guarim Neto, G. et al., Repertório Botânico da “Pitombeira” (Talisia esculenta, A.ST.-HIL.) RADLK. - Sapindaceae). http://www.scielo.br/pdf/aa/v33n2/1809-4392-aa-33-02-00237.pdf
site: Cerratinga: http://www.cerratinga.org.br/pitomba/

Produto embarcado pelo projeto
logo projeto completa